Comunicação para a transformação socioambiental

O prêmio Melhores ONGs lançou uma plataforma que ajuda a escolher as organizações com melhor gestão e facilita a transação

O melhor do Natal é o espírito natalino. As doações feitas no Brasil para ações de combate ao coronavírus ou auxílio para populações mais atingidas atingiram o total de R$ 6,5 bilhões em dezembro, segundo dados da ferramenta Monitor das Doações Covid-19, abastecida pela Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR).

Em momentos especialmente difíceis, é comum que as pessoas se mostrem mais solidárias. Mas, não só. Tradicionalmente, o Natal também é uma época que amolece o coração das pessoas. As caixinhas de fim de ano para os funcionários, doação de brinquedos e até pessoas que adotam cartinhas para ser, por um dia, o Papai Noel de alguém, são bons exemplos.

Uma das estratégias para estimular a cultura de doação é exibir os atos de solidariedade. A divulgação é uma forma de estimular que mais pessoas se engajem e busquem ajudar também. Outra é mostrar em que instituições elas podem confiar.

É o que o Prêmio Melhores ONGs faz. Com uma equipe julgadora — formada por professores, doutorandos e mestrandos da Fundação Getúlio Vargas (FGV), jornalistas e lideranças sociais — o prêmio avalia as organizações com base em boas práticas e, ao divulgar uma lista com as melhores, funciona como um farol para mostrar algumas organizações que dão exemplo de gestão.

Essas organizações, que atendem populações carentes em todas as regiões do país, precisam de dinheiro para desenvolverem suas ações. Sem ajuda de governos, grande parte dessa verba vem das doações, de pessoas físicas ou jurídicas, que acreditam e querem incentivar esse trabalho. Afinal, a sociedade capitalista moderna precisa das ONGs.

No Natal, a maioria dessas organizações realiza campanhas para proporcionar festas mais alegres para as pessoas que atendem e, por isso, precisam ainda mais de ajuda. Este ano, uma novidade lançada pela organização do Prêmio Melhores ONGs, promete dar uma força, pelo menos para as 100 organizações que se destacaram na edição 2020: uma plataforma de doação direta.

“Foi uma resposta a um pedido que as ONGs fizeram para o Papai Noel”, afirma o pesquisador da FGV, Fernando Nogueira, que faz parte da coordenação do Prêmio. Segundo ele, que estuda o terceiro setor há décadas, a confiança é fator decisivo para as pessoas quererem ou não doar para uma ONG. O prêmio mais a plataforma, resolvem isso de dois jeitos.

Ao mostrar organizações que foram avaliadas em detalhes, o doador pode ter certeza que está fazendo uma boa escolha. E, além disso, a ferramenta também garante que o dinheiro vai chegar de forma rápida e transparente direto para essa ONG. “É um jeito seguro, que acabou com todas as desculpas para quem queria doar, mas não sabia direito para quem ou como. É o nosso presente de Natal para o setor”, celebra.

“O nosso projeto começou no Natal de 1993 e hoje transformamos a vida de milhares de pessoas, na região mais carente do país. O Natal nos desperta para a solidariedade e intensifica em nós a vontade de ajudar ao próximo. Doar é um ato de generosidade! Fazer o Bem é o melhor sentimento da vida e somos nós os maiores beneficiados.” afirma Alcione Albanesi, Presidente dos Amigos do Bem, organização que ganhou o destaque de Melhor ONG na edição de 2020 e é uma entre as 100 na plataforma.

Este artigo foi originalmente escrito por Alexandre Mansur e Angélica Queiroz e publicado na coluna Ideias Renováveis, da revista Exame.

Foto: Bruno Caimi/Divulgação

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

outras matérias