Comunicação para a transformação socioambiental

Encontro presencial conectou Brasil e Escócia. Confira o que rolou

Desde o início do mês, líderes de todo o planeta estão reunidos em Glasgow, Escócia, para a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26). Com vários representantes presentes no encontro global, o Brasil tem um imenso potencial para promover negócios e qualidade de vida explorando suas oportunidades de redução das emissões, contribuindo para enfrentar a crise climática e impulsionando nosso desenvolvimento. Quem não foi também pôde participar, nesta terça-feira (9/10), durante o primeiro ClimaX SP, o evento paralelo da COP em São Paulo, realizado pelo Instituto O Mundo Que Queremos.

Cerca de 70 executivos de sustentabilidade de empresas e de organizações que trabalham pela transição econômica para o baixo (ou zero) carbono se reuniram, presencialmente, para uma conversa de alto nível, ao vivo, com quem está na COP26. Participaram, direto de Glasgow, via vídeo, Roberto Waack, presidente do conselho da Arapyaú, Daniel Contrucci, diretor da Climate Ventures, Gustavo Pinheiro, Program Officer do Instituto Clima e Sociedade e coordenador da Convergência pelo Brasil, e Ana Carolina Amaral, jornalista da Folha de São Paulo.

“A ideia do evento surgiu quando percebemos que muitas pessoas e organizações importantes não estavam indo para a COP. E que o Brasil tem um grupo de pessoas muito engajadas no tema do clima, que precisam se encontrar para trocar ideias e inventar soluções”, explica Alexandre Mansur, diretor de projetos da O Mundo Que Queremos. Na falta do momento de encontro propiciado pela COP, decidimos criar nós mesmos esse ponto de conexão aqui no Brasil”, completa.

Os presentes puderam conferir os 30 minutos iniciais do filme “Forest Partners”, produção da Partnership for Forest e do governo britânico, que será lançado em breve. Um dos destaques da noite foi um bate-papo, conduzido por Juliana Causin, jornalista de Um Só Planeta e da Época Negócios, com a participação de Fred Rahal Mauro, diretor do filme, e Marcio Sztutman, diretor da Partnership for Forest.

Segundo Cássia Christe, diretora executiva do Instituto, o evento deu tão certo que vai entrar para o calendário do Mundo em 2022. “Nada substitui esse momento onde as pessoas se encontram, trocam ideias, com calma, sem uma agenda definida, criando relações de confiança que geram parcerias duradouras”.

O evento pioneiro foi possível graças ao patrocínio da Partnership for Forests e do governo britânico e ao apoio de Instituto Arapyaú, Reservas Votorantim, Ben & Jerry, Um Só Planeta, Diageo, Grupo Raia Drogasil, Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável e Convergência pelo Brasil.

Foto: Sidinei Lopes/ Veja mais aqui.

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

outras matérias