Prêmio Melhores ONGs homenageia quem trabalha para melhorar o Brasil

O Mundo Que Queremos, o Instituto Doar e a Rede Filantropia apresentam os vencedores dos maior prêmio do Terceiro Setor

 

O Mundo Que Queremos, o Instituto Doar e a Rede Filantropia apresentaram no dia 18 de novembro os vencedores do prêmio Melhores ONGs. A iniciativa revelou pelo terceiro ano seguido as organizações com melhor gestão e eficiência nas mais diversas causas.  A cerimônia de entrega lotou (até o mezzanino) o Teatro J Safra em São Paulo.

Os resultados saíram em primeira mão nesta reportagem da revista Época Negócios.

As 100 ONGs vencedoras, e os destaques especiais por área de atuação e por região do país, são escolhidos depois de um processo de avaliação que começa com a inscrição de milhares de concorrentes.  Por suas dimensões e pelo reconhecimento, o Melhores ONGs é o maior prêmio do Terceiro Setor brasileiro.

“O prêmio é um reconhecimento às pessoas e às organizações que trabalham para melhorar a sociedade brasileira”, afirma Alexandre Mansur, diretor de projetos do Mundo Que Queremos. ” A diversidade de causas e iniciativas representada no universo das 100 Melhores ONGs do Brasil também mostra o vigor de nosso Terceiro Setor. As ONGs são uma expressão da liberdade democrática e do espírito cívico do brasileiro. É através delas que pessoas generosas se reúnem para ajudar a melhorar o país. Cada um da sua forma, fazendo sua parte para atuar em áreas onde o poder público ou as empresas não alcançam.”

>> O artigo da revista Exame analisa quem sustenta as ONGs?

“Prêmio Melhores ONGs” avalia entidades inscritas, por meio de pesquisadores da FGV, e ranqueia aquelas que melhor atendem critérios de avaliação, como a estrutura administrativa e financeira, se a entidade possui conselhos de gestão, se faz auditorias independentes, se há plano de captação de recursos, além da prestação de contas e da transparência na gestão de recursos”, diz Marcelo Estraviz, presidente do Instituto Doar.

Confira abaixo outras ONGs premiadas por categoria especial.

>>Aqui a reportagem da Época Negócios com os resultados de 2018.

Melhor ONG – Região Norte: Fundação Amazonas Sustentável

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma organização brasileira não governamental, sem fins lucrativos, criada em 8 de fevereiro de 2008, pelo Banco Bradesco em parceria com o Governo do Estado do Amazonas. Posteriormente, passou a contar com o apoio da Coca-Cola Brasil (2009), do Fundo Amazônia (2010) e da Samsung (2010), além de outras parcerias em programas e projetos desenvolvidos. As principais iniciativas são implementadas por meio do Programa Bolsa Floresta (PBF), Programa de Educação e Saúde (PES), Programa de Soluções Inovadoras (PSI) e Programa de Gestão e Transparência (PGT). Em 2016, a FAS assistiu 9.597 famílias, beneficiando 40.230 pessoas moradoras de 16 Unidades de Conservação (UC) do Amazonas.

Melhor ONG – Região Nordeste: Centro Cidadania

O Centro Cidadania – Ação e Educação Socioambiental surgiu em 2003 a partir da constante comunhão de um grupo de pessoas com objetivos de melhorar as condições de vida da população residente na microrregião da Serra do Teixeira, uma área que aglutina 07 municípios do semiárido paraibano. Com uma proposta de atuar nas áreas sociais e ambientais, desenvolveram várias atividades e estabeleceram parcerias com entidades de caráter governamental e comunitário. Nos últimos anos, com o agravamento da situação social na nossa área de atuação, vimos levantando dados mais completos sobre a nossa realidade através da confecção de um diagnóstico socioambiental para que possamos ser mais assertivos em nossa jornada.

Melhor ONG – Região Centro-Oeste: Hospital do Câncer de Rio Verde

A Fundação Cristã Angélica- Hospital do Câncer de Rio Verde, fundada em 17 de fevereiro de 1991, constitui-se e possui caráter de Sociedade Civil de Direito Privado, com Personalidade Jurídica, sem fins lucrativos, declarada e reconhecida como Entidade Filantrópica nas três esferas, Municipal, Estadual e Federal, com 93% dos atendimentos realizados pelo SUS vem. Através dos anos vem ampliando os atendimentos, hoje é uma instituição que realiza a prevenção e o diagnostico do câncer em Rio Verde e a Regional sudoeste I com mais de 700 mil habitantes e dezoito municípios.

Melhor ONG – Região do Sudeste: Pró-Saber SP/ AMPARA Animal / Vocação

Pró-Saber SP

O Instituto Pró-Saber SP é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que atua na comunidade de Paraisópolis, em São Paulo. O Instituto tem como missão diminuir a desigualdade por meio da garantia do Direito de toda criança Ler & Brincar. Criado em 2003, o Pró-Saber SP derivou da experiência da sede carioca homônima fundada em 1987, cuja missão é encontrar, trabalhar e difundir alternativas teóricas e práticas para responder aos desafios educacionais brasileiros.

AMPARA Animal

Em atividade desde 2010, A AMPARA Animal nasceu quando as fundadoras Juliana Camargo e Marcele Becker se uniram por amor e respeito aos animais. Juntas sonharam em criar um projeto para mudar a realidade dos animais rejeitados e abandonados do Brasil.

Em 9 anos

Mais de 1,6 milhão de quilos de ração distribuídos

Mais de 155 mil vacinas

Mais de 350 mil animais medicados

Mais de 4.600 animais castrados

Mais de 12.000 animais adotados

Vocação

A Vocação, antiga Ação Comunitária do Brasil, foi fundada pelos empresários Francisco Matarazzo Sobrinho, Paulo Ayres Filho, Ruy Mesquita e José Martins Pinheiro Neto na década de 60, quando projetos sociais arrojados não existiam no país. Nos anos 70, estabeleceu convênios com organizações de bairros e investiu na criação de metodologias pedagógicas. Nas décadas seguintes, passou a oferecer atendimento completo e integrado com práticas de Educação, Saúde e Cultura. Na virada do Século, dedicou-se ao atendimento prioritário à criança, ao adolescente e ao jovem com foco nas ações socioeducativas, inserção no mercado de trabalho e desenvolvimento comunitário, e aproximou-se do governo para influir em políticas públicas

Melhor ONG – Região do Sul: ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DE APOIO A CRIANÇA COM NEOPLASIA

Fundada no dia 21 de outubro de 1983, a APACN foi a primeira instituição a amparar crianças e adolescentes com câncer no Brasil. A história começou pela união e dedicação de um grupo de casais, pais de crianças com algum tipo de câncer que se sensibilizaram diante da situação de famílias desprovidas de condições financeiras que, enfrentando a mesma doença, chegavam à cidade, sem moradia/hospedagem ou mesmo um meio de locomoção. Dessa forma solidários, formaram um grupo que prontamente providenciou um local destinado a acolher dignamente essas famílias, do início até o final do tratamento.

­­­­­

Melhor ONG – Assistência Social: Asas de Socorro

Harold e Elsie Berk chegaram ao Brasil em 1955. Estudaram o nosso idioma e em seguida, mudaram-se para Anápolis – GO, para implantar o primeiro centro de revisão de aeronaves, com foco no trabalho missionário no Norte do país. Após atuar por quatro anos no México como piloto missionário, voando pela missão: MAF (Mission Aviation Fellowship), missão de onde nasceria posteriormente a atual Asas de Socorro.

Melhor ONG – Criança e Adolescente: ChildFund Brasil

A história começou lá na China com o americano Calvitt Clarke e sua esposa Helen, um casal presbiteriano (denominação protestante baseada no Calvinismo). Munidos de recursos enviados por amigos norte-americanos, eles estavam em uma missão para amparar crianças órfãs, vítimas da guerra entre o Japão e a China. Em 1938, Calvitt e Helen foram para a China e criaram o China Children’s Fund (CCF). A iniciativa deu tão certo e colheu tantos frutos positivos que eles decidiram expandir a organização para vários outros países. Com essa expansão, o nome da organização mudou e ficou mundialmente conhecido como Christian Children’s Fund. Como nosso país é o coração da América do Sul e tem uma posição estratégica na América Latina, por isso, em 1966, foi inaugurado o primeiro escritório regional do CCF aqui. Com sede localizada em Belo Horizonte (MG), a agência de desenvolvimento infantil atenderia crianças e adolescentes em situação de risco social na Argentina, na Bolívia, no Brasil, no Chile, na Colômbia, no Equador, no Paraguai, no Peru e no Uruguai.

Melhor ONG – Cultura: Santa Marcelina Cultura

Em dezembro de 2007 a Associação Santa Marcelina – responsável pela Fasm e pelo Colégio Santa Marcelina, ambos no bairro de Perdizes – foi qualificada pelo Governo do Estado como Organização Social de Cultura, apta a gerir programas em parceria com a Secretaria da Cultura. Em 2008 a Associação começou a implementar o seu primeiro programa na área da cultura, batizado pelo Governo como Guri Santa Marcelina, com o intuito de valorizar a marca do Guri associando-a à tradição de excelência da Santa Marcelina. Em 2009, a Santa Marcelina Cultura inaugurou a inovadora proposta da EMESP Tom Jobim e do Festival de Inverno de Campos do Jordão, ambos estruturados sob as mesmas diretrizes artístico-pedagógicas: integração entre os aspectos artístico, pedagógico e social; abrangência estética de toda a história da música, desde a música antiga à contemporânea; excelência artístico-pedagógica; intercâmbio internacional para confrontação constante com as melhores práticas e abertura de oportunidades para o aluno continuar seus estudos no exterior; e foco nas pessoas: o professor, o aluno e o público são a prioridade em todas as atividades.

Melhor ONG – Desenvolvimento Local: ESF-Brasil

Com a missão de ajudar os núcleos dos Engenheiros Sem Fronteiras Brasil a desenvolver seu máximo potencial de impacto nas comunidades. Fazem isso oferecendo constantemente suporte qualificado de gestão e técnico aos núcleos, gerenciamento da rede ESF e representatividade interna e externa. Possibilitando dessa forma que os núcleos foquem cada vez mais em fazer mais projetos de qualidade nas comunidades onde estão inseridos.

Melhor ONG – Direitos Humanos: Instituto Sou da Paz

O Sou da Paz começou como uma campanha pelo desarmamento, lançada em 1997 por um grupo de estudantes para jogar luz sobre um tema até então desconsiderado no debate sobre segurança pública. Um estudo da ONU realizado em 1996 apontava o Brasil como o país onde mais se matava por armas de fogo em todo o mundo. Os primeiros projetos voltaram-se às regiões e públicos mais afetados pelos homicídios: os jovens moradores dos distritos do Jardim Ângela, Jardim São Luis e Capão Redondo, zona sul da capital paulista. Iniciativas de valorização da convivência e participação e formação de empreendedores impactaram nas histórias de vida de diversos grupos. Gradualmente o Sou da Paz ampliou os temas de trabalho: desde 2003 realiza projetos para melhorar a atuação das polícias; nos anos seguintes prestou assessoria a diversas prefeituras na realização de diagnósticos e planos locais de prevenção da violência; em seguida passou a atuar em rede.

Melhor ONG – Educação: CEAP

Em 1985, um grupo de universitários que frequentavam a politécnica da USP (Universidade de São Paulo), foram para o extremo sul de São Paulo, no bairro de Pedreira, região com um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano da cidade de São Paulo, conforme constatado em pesquisa. Na Pedreira, bairro com alto índice de criminalidade, analfabetismo, com pouco saneamento básico e acesso a recursos limitados, ali, onde inicialmente era um aterro clandestino, e que foi cedido pela prefeitura, nascia o que no futuro seria chamado de CEAP. Alinhado ao mercado que mais crescia e a carecia de mão de obra na época, ao interesse dos moradores locais e a necessidade de se democratizar o acesso a tecnologia, o primeiro curso desenvolvido na organização, composta então apenas por uma construção rústica de madeira, com uma única sala de aula e escritório administrativo, foi o curso Rádio e Televisão com uma turma de oito alunos.

Melhor ONG – Meio Ambiente: Associação Ambientalista Copaíba / Organização de Conservação de Terras do Baixo Sul da Bahia – OCT

Associação Ambientalista Copaíba

A Copaíba foi fundada em 1999 por um grupo de amigos que, percebendo a degradação da Mata Atlântica no município de Socorro-SP, resolveu agir e trabalhar com a restauração de matas ciliares, inicialmente, do Rio do Peixe. A primeira ação do grupo foi modesta: um plantio de 80 mudas em uma área às margens do Rio do Peixe em Socorro. A mão de obra ficou sob a responsabilidade de voluntários. A ideia de restaurar a Mata Atlântica na região ganhou a adesão de novos voluntários e de outras organizações. Com o tempo, o trabalho da ONG ganhou corpo e desenvolveu membros a partir de diversas ações integradas na área ambiental, de projetos e programas de restauração florestal à produção de mudas nativas, iniciativas de sensibilização à participação em políticas públicas em meio ambiente.

Organização de Conservação de Terras do Baixo Sul da Bahia – OCT

Organização da Sociedade Civil, fundada em 2001, a Organização de Conservação da Terra (OCT) atua no Baixo Sul da Bahia. Trabalha no planejamento da paisagem, visando ser propositiva em um modelo de desenvolvimento que possa gerar sustentabilidade. A instituição acumula um portfólio de experiências e conhecimentos na geração e valoração dos serviços e ativos ambientais, consolidando desenvolvimento e crescimento em bases sustentáveis. Com a linha de atuação em Conservação Ambiental, executa serviços ambientais e de fortalecimento dos recursos naturais. Nesse contexto, coordena projetos que restauram e recuperam nascentes, favorecendo a capacidade hídrica da região e a compensação de carbono. Além disso, contribui para a regularização ambiental de propriedades, ajudando agricultores a efetuarem o Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (Cefir).

Melhor ONG – Meio Ambiente: Organização de Conservação de Terras do Baixo Sul da Bahia

Organização da Sociedade Civil, fundada em 2001, a Organização de Conservação da Terra (OCT) atua no Baixo Sul da Bahia. Trabalha no planejamento da paisagem, visando ser propositiva em um modelo de desenvolvimento que possa gerar sustentabilidade. A instituição acumula um portfólio de experiências e conhecimentos na geração e valoração dos serviços e ativos ambientais, consolidando desenvolvimento e crescimento em bases sustentáveis. Com a linha de atuação em Conservação Ambiental, executa serviços ambientais e de fortalecimento dos recursos naturais. Nesse contexto, coordena projetos que restauram e recuperam nascentes, favorecendo a capacidade hídrica da região e a compensação de carbono. Além disso, contribui para a regularização ambiental de propriedades, ajudando agricultores a efetuarem o Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (Cefir).

Melhor ONG – Saúde: Grupo Luta Pela Vida / Hospital do Câncer em Uberlândia

Grupo Luta Pela Vida

O Grupo Luta Pela Vida é uma instituição sem fins lucrativos fundada em 1996 por um grupo de pessoas que tem como objetivo oferecer bem-estar e melhores condições de tratamento e cura aos pacientes oncológicos atendidos em Uberlândia. Desde a sua fundação, tem trabalhado junto à comunidade e empresas a fim de obter recursos financeiros em prol da construção, manutenção e ampliação do Hospital do Câncer em Uberlândia. O Grupo realiza também investimentos em novas tecnologias, pesquisa e prevenção do câncer, visando sempre oferecer um tratamento de ponta e qualidade. Além dos recursos voltados para infraestrutura e atendimento, oferece também aos pacientes e seus familiares apoio psicossocial e material. A filosofia de realizar um atendimento humanizado na luta contra a doença é aplicada principalmente por meio das ações realizadas pelo Núcleo de Voluntários, que conta atualmente com 500 voluntários.

Hospital do Câncer em Uberlândia

O Hospital do Câncer em Uberlândia é um centro de referência para o tratamento do câncer no interior de Minas Gerais, que oferece atendimento totalmente gratuito e de qualidade aos pacientes da cidade e região. É construído e equipado pelo Grupo Luta pela Vida, ONG criada para oferecer as melhores condições de tratamento aos pacientes com câncer. O Hospital do Câncer atende atualmente cerca de 8.500 pacientes, vindos de mais de 80 cidades da região.

Melhor ONG – Pequeno Porte: Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística

A história começou em Agosto de 2009, quando a fundadora, teve um sonho durante uma das noites no hospital, onde estava internada para tratar uma grave pneumonia. Era mais um internamento, dentre tantos outros inúmeros que havia tido durante os seus primeiros 23 anos de vida. Assim, em 2011 fundou o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, com sede em Curitiba, tem como missão fortalecer e desenvolver o ecossistema da fibrose cística por meio de ações que impactem na melhora da qualidade de vida dos pacientes, familiares e demais envolvidos.

Foto: Vencedores do Melhores ONGs no final da premiação (crédito Alexandre Mansur)